Quer saber quanto dinheiro brasileiro está em circulação neste exato momento? Na manhã do dia 10 de dezembro de 2013, quando esse  texto estava sendo escrito, a quantia era de 199 bilhões, 604 milhões, 913 mil, 653 reais e 79 centavos. O Banco Central traz essa informação sempre atualizada em seu site. É possível também saber o total de meio circulante de datas passadas, desde  2 de outubro de 1994, dia em que o real foi instituído como moeda oficial.  Com 199 bilhões de reais, daria para pagar 249 vezes a multa contratual do argentino Lionel Messi (em torno de 800 milhões de reais) e tirá-lo do Barcelona. Seria possível também realizar oito Copas do Mundo no Brasil (isso se o orçamento parar mesmo nos 25 bilhões de reais…).

O Banco Central nunca para de fabricar dinheiro. De acordo com a assessoria de imprensa do BC, o ritmo da produção é determinado por vários fatores, como a demanda por meio circulante estimada pelo órgão, a vida útil das cédulas e a manutenção de estoque adequados. Cédulas de menor valor têm vida útil mais curta porque circulam mais. Enquanto uma cédula de 2 reais demora 15 meses para atingir o nível 4 de desgaste, último antes da substituição das notas, a cédula de 50 reais leva 36,9 meses para chegar ao mesmo estágio.

No ano passado, o Banco Central do Brasil imprimiu a incrível quantidade de 2,8 bilhões de cédulas de real. Se as notas fossem espalhadas lado a lado,  seria possível cobrir 4 349 vezes o gramado do Maracanã ou 660 vezes a Praça da Sé, em São Paulo (os cálculos foram feitos com base no tamanho médio das cédulas pertencentes à chamada Segunda Família, lançada em 2012). O número de moedas ficou na casa de 1,2 bilhões. Considerando a espessura média das moedas (2,17 mm), verifica-se que seria possível construir 2.492 pilhas do tamanho do Burj Khalifa (828 metros), maior edifício do mundo, localizado na cidade de Dubai.

Leia também: Quanto dinheiro existe no mundo?

Outro número que chama a atenção é o do valor gasto pelo BC na produção das notas e moedas. Em 2012, a conta ficou em 829 milhões, 471 mil e 460 reais, dinheiro suficiente para comprar 418.924 ingressos para o setor mais caro do Maracanã na final da Copa do Mundo de 2014 Para produzir uma cédula de 2 reais, o BC gasta aproximadamente 18 centavos. No caso da nota de 100 reais, o custo de fabricação é de 25 centavos. A título de comparação, os Estados Unidos gastam 12 centavos para fazer uma nota de 1 dólar e os mesmos 25 centavos para fabricar uma cédula de 100 dólares.