Em 1951, os bancários de São Paulo realizaram a maior greve da história da categoria, que durou 69 dias. Eles reivindicavam um piso salarial profissional, 40% de reajuste dos salários e uma quantia adicional por tempo de serviço. Os profissionais do Rio de Janeiro e de Belo Horizonte também aderiram. Foi a primeira reação de peso contra o decreto número 9.070, que proibia as greves e sufocava o movimento sindical dos trabalhadores. Para lembrar o evento histórico, os bancários comemoram seu dia na data da assembleia que decidiu pela greve.