Calçadas tradicionais da cidade de São Paulo. Quem as criou?

Em 1966, o então prefeito da capital paulista José Vicente Faria Lima lançou um concurso para eleger como seria o piso das calçadas da cidade. Mirthes dos Santos Pinto, que trabalhava como desenhista da Secretaria de Obras da Prefeitura, esboçou um desenho sem muita pretensão. O projeto era uma geometrização do mapa do estado de São Paulo.

Depois de eleito entre os três melhores, o desenho de Mirthes foi posto em prática, junto com os outros dois. Cada um ocupava 50 metros na rua da Consolação, e dezessete pessoas integravam a comissão que julgaria o melhor. Mirthes foi a campeã.

Dali em diante, as calçadas pavimentadas pela prefeitura levaram o padrão de Mirthes estampado. A primeira rua a ter o calçamento foi a Amaral Gurgel, no centro. Apesar do sucesso, a artista não ganhou nenhum dinheiro pela contribuição. Ela tentou patentear o desenho para receber direitos autorais, mas desistiu porque os custos com advogados eram muito altos.

Hoje em dia, o desenho pode ser visto em diversos produtos, como chinelos, rótulos de cerveja e roupas.