Algodões-doces

instagramáveis

americano William Morrison inventou uma máquina composta por uma bacia giratória com furos minúsculos, em 1897. Teve a ajuda de John C. Wharton. Produziu um doce inicialmente batizado de “The Fairy Floss” (O Fio das Fadas).

O dentista

é atribuída também a  Josef Delarose Lascaux, na  Feira Mundial de Chicago, em 1830. E reivindicada ainda por outro americano, Thomas Patton, que teria começado a vender o doce nos intervalos do Circo Ringling Brothers em 1900.

A invenção

Foto: Charles “Teenie” Harris/Heinz Family Fund/Carnegie Museum of Art

em Miami, Estados Unidos, faz o algodão-doce e o sorvete se transformarem em instagramáveis pizzas e burritos.

A Icy-N-Spicy,

na Califórnia, Estados Unidos,  faz a gente ficar até com pena  de saborear o algodão-doce.

A Polar Playground,

o Mellower Coffee oferece café com chuva de algodão-doce  para ajudar a adoçar a bebida.

Na China,

a Dona Nuvem foi uma  febre em São Paulo, com  sua casquinha envolta em  uma saia de algodão-doce.

Inaugurada em 2017,

a Magic Candies mostra que  não há limite para a imaginação: quanto maior e mais colorido  o algodão-doce, melhor.

Também em São Paulo,

no Paraná, faz algodão-doce  em formato de flor em  uma máquina com autoatendimento robotizada.

A Cololido,