GRIPO SÓ NO SAPATINHO

Enquanto aprontava poucas e boas na novela Torre de Babel, a vilã Sandrinha (interpretada por Adriana Estevez) tinha como trilha sonora o pagode Só no Sapatinho. Mas se fosse por conta da história do grupo musical que cantava a música, o nome mais apropriado para ela seria Só na Chuteirinha. Afinal, tudo começou em uma pelada na casa do jogador Zico. Seu filho, Bruno, encontrou durante a partida mais do que jovens torcedores do Flamengo. A rapaziada também era ligada em pagode e mantinha um grupo que não tinha vocalista ou nome. Uniu-se assim o cavaquinho com a vontade de sambar. O sucesso que alçou a banda ao estrelato ? e também acabou por batizá-la ? levava no título uma gíria carioca, que queria dizer ?com jeitinho?.

Só no Sapatinho
Só no sapatinho ôô
Tão querendo disputar o meu espaço
Invadir o meu pedaço
Mas não vou dar mole não
Já andaram rastreando meu caminho
Pra saber se eu to sozinho ou
Se eu to nesse avião