CONTROLE REMOTO

1. O primeiro controle remoto foi criado em 1955 pela empresa americana Zenith. Não pegou porque tinha um incômodo fio que o ligava à TV.

2. Mais tarde, Zenith trocou esse fio por um facho de luz que ativava células fotoelétricas no televisor. No entanto, este ainda apresentava muitos problemas. Não era funcional e tinha células fotoelétricas ativadas pela luz, de modo que a claridade muitas vezes acionava o controle sozinho.

3. Os controles só se popularizariam depois de 1956, quando o austríaco Robert Adler, então com 45 anos, resolveu usar o ultra-som para fazer o serviço. Em 1981, a empresa substituiu o som pela luz infravermelha.

4. O projeto de Adler, que inicialmente não animou muito os desenvolvedores, demorou cerca de um ano para ficar pronto.

5. A preocupação dos vendedores durante o projeto era que o controle não tivesse baterias, à época usada apenas nas lanternas. O argumento era o de que quando a bateria de uma lanterna acaba, ela se apaga e todo mundo é capaz de ver. Com um controle remoto, porém, não seria possível ter essa percepção, de modo que os usuários poderiam ter a impressão de que ele se quebrou.

6. O conceito básico de aparelhos de ultra-som é o de que o som é tão alto que ninguém pode ouvir. No entanto, em um dos testes, uma funcionária se assustou com o barulho, de modo que foi preciso atingir uma escala ainda maior para que de fato ninguém pudesse ouvir.

7. Robert Adler, o criador do controle remoto, morreu em 2007. Ele não gostava de assistir televisão. Ele patenteou 179 invenções ao longo da carreira.