Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

A trégua de Natal na Primeira Guerra Mundial

3 de fevereiro de 2022

A Primeira Guerra Mundial, de 28 de julho de 1914 a 11 de novembro de 1918,  foi o primeiro conflito que se estendeu por todo o planeta – até o Brasil participou. Quando ela acabou, quatro impérios tinham sumido: o turco, o austro-húngaro, o russo e o alemão. Foi um conflito que colocou em campo os valores antigos para enfrentar a tecnologia mais moderna. Ainda se usavam cavalos, lanças e espadas nas batalhas, enfrentando aviões metralhadoras e os recém inventados tanques de guerra. O uso de gases venenosos espalhou a morte entre soldados, civis, animais. Na Batalha do Somme, a maior da guerra, que durou quase cinco meses, os britânicos tiveram 57.000 mortos… no primeiro dia! Ao todo foram cerca de 22 milhões de mortos em quatro anos.

Prev 1 of 1 Next
Prev 1 of 1 Next

Pois, no meio desse cenário do inferno, ainda em dezembro de 1914, no primeiro ano da guerra, aconteceu uma coisa… inusitada, contada inicialmente num livro do capitão britânico Bruce Bairnsfather. Na noite de Natal, por volta das 22h, no campo de batalha de Ploegsteert, na Bélgica, um sentinela inglês ouviu os boches (como os Aliados se referiam aos alemães) cantando “Noite Feliz” em suas trincheiras. Ele acordou alguns companheiros e decidiram que aquilo não podia ficar assim; então cantaram “First Noel”. Os alemães contra-atacaram com “Tanenbaum”. E os britânicos, então, apelaram: “Come all Ye Faithful”. E os alemães começaram a cantar a mesma canção, mas com a letra em latim, “Adeste Fidelis”.

Alguns deles, de ambos os lados, começaram a caminhar pela “terra de ninguém”, que é como se chamava o espaço entre as trincheiras. E trocaram cumprimentos de Feliz Natal. Trocaram tabaco e vinho. Um cachecol por luvas. Em troca de cigarros, os ingleses cortaram o cabelo dos alemães. Amanheceu e a festa continuava. Alguém apareceu com uma bola meio murcha e – eles jogaram futebol! Deu Alemanha por 3 x 2. Depois soube-se que algo parecido aconteceu em outros pontos. Ninguém combinou nada, só aconteceu. Não foi nada entre governos, mas entre pessoas. Os comandantes dos dois lados receberam, no mínimo, repreensões oficiais. A chamada Trégua de Natal durou pouco. Uns dias depois já estavam se matando novamente.

Mas, houve um momento em que foi possível viverem como seres melhores. Sempre é possível. Acredite.

Web Stories

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Cestas de Natal Amaral e o início da publicidade natalina

Cestas de Natal Amaral e o início da publicidade natalina

Nos primeiros anos de vida, as emissoras de televisão mantinham praticamente a programação normal mesmo no dia de Natal. Dá para perceber isso na grade horária do dia de Natal de 1957 na revista especializada "7 Dias na TV". Naquele ano, o Natal caiu numa quarta-feira...

Curiosidades sobre a árvore de Natal do Rockefeller Center

Curiosidades sobre a árvore de Natal do Rockefeller Center

A iluminadíssima árvore do imponente Rockefeller Center é uma das atrações natalinas mais queridas de Nova York, nos Estados Unidos. A primeira árvore foi montada em 1931 pelos operários da própria construção do RC. Era um abeto balsâmico de pouco mais de 6 metros de...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Share This
A história do Hard Rock Cafe Curiosidades sobre o Biscoito Globo Como foi criada a Copa do Mundo Curiosidades sobre o Super Dínamo Os doutores mais famosos da ficção – parte 2