Origem do budismo

11 de agosto de 2020

Nasceu por volta de 525 a.C., na Índia. A religião foi criada por um príncipe hindu chamado Siddharta Gautama, que depois mudou seu nome para Buda (“sábio”, “iluminado”). Aos 16 anos, casou-se com a bela princesa Yasodhara, escolhida entre quinhentas pretendentes. Tiveram um filho chamado Rahula. Gautama viveu na corte até os 29 anos. Certo dia, saiu do palácio a passeio e encontrou um velho, um doente e um cadáver. Este seu primeiro contato com o mundo exterior fez com que ele renunciasse a tudo. Mudou-se para uma floresta, onde passou seis anos em profunda meditação. Durante 45 anos, Gautama pregou a sua doutrina por todos os recantos da Índia. Reis, príncipes e nobres se converteram à sua religião.

O chefe do budismo é o dalai-lama (significa “oceano de sabedoria”). Ele vive na cidade de Dharamsala, no norte da Índia. Segunda a tradição budista, o dalai-lama é a reencarnação de Buda, a manifestação de Bodhisattva Avalokiteshavara. Quando um dalai-lama morre, os monges budistas passam a procurar pela nova reencarnação do Buda. Eles reconhecem o novo líder por meio de sinais por eles identificados e aplicando testes tradicionais na cultura budista.

O dalai-lama Tenzin Gyatso é filho de agricultores e nasceu no povoado de Takster, no Tibete, no dia 6 de julho de 1935. Seu nome é Lhamo Thondup e ele é tido como a reencarnação de todos os 13 dalai-lamas que o antecederam que, por sua vez, eram reencarnações de Avalokiteshavara.

Antes da invasão chinesa em 1959, a sede dos dalai-lamas era no Tibete, num palácio adornado de ouro e pedras preciosas.

Os pontos fundamentais do budismo são a crença na reencarnação da alma em outras formas de vida. Os maus voltam com a aparência de um animal inferior ou um ser azarado. Já os bons retornam em condições melhores e, progressivamente, atingem escalas maiores e mais afortunadas, até se tornarem dignos do nirvana (“bem-aventurado estado do vazio total”), onde há  a completa libertação dos desejos. Depois desse estágio a alma não renasce mais para o sofrimento. A Regra de Ouro pregada por Buda era: “Tudo o que somos é resultado do que pensamos”.

Os budistas não têm hierarquia na sua religião. Um monge budista vive sozinho ou num mosteiro, onde conta com pouquíssimos bens: uma roupa, uma tigela para fazer as refeições, um colar com 108 contas (para contar enquanto medita), uma lâmina para raspar a cabeça e um filtro de água.

Budismo tibetano

O budismo tibetano surgiu no fim do século VIII, resultado da união das tradições budista e hinduísta com o xamanismo. O dalai lama é considerado um bodhisattva (em sânscrito isso significa “o ser destinado à iluminação”, “o Buda da Compaixão”).

Muitos rituais do budismo tibetano baseiam-se, entre outras, na doutrina do tantra – por meio de mantras, meditação e rituais, a pessoa atinge a libertação espiritual.

Leia também:
Curiosidades sobre Dalai Lama
10 curiosidades sobre o budismo

 

Artigos Relacionados

10 curiosidades sobre o budismo

10 curiosidades sobre o budismo

Os pontos fundamentais do budismo são a crença na reencarnação da alma em outras formas de vida. Os maus voltam com a aparência de um animal inferior ou um ser azarado. Os bons retornam em condições melhores e, progressivamente, atingem escalas maiores e mais...

Curiosidades sobre Dalai Lama

Curiosidades sobre Dalai Lama

É filho de agricultores da aldeia de Takster. Na infância, ele dizia que queria ser engenheiro. Foi reconhecido como a 14ª encarnação do príncipe Cherezig quando tinha 2 anos. Aos 4 anos, deixou a família e mudou-se para o Palácio de Potala, em Lhasa, capital do país....

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *