Por que há pilhas AA, AAA, C e D, mas não há A e B?

26 de maio de 2020

A identificação de pilhas utilizando letras começou como uma anotação conveniente para especialistas, para identificar o comprimento, diâmetro e formato. Com o tempo essa identificação acabou sendo regularizada pela American National Standards Institute, que regulamenta as normas técnicas dos Estados Unidos. A primeira pilha, utilizada em lanternas pequenas, foi chamada aleatoriamente de C. Logo depois, as lanternas maiores precisaram de pilhas maiores e as pilhas foram batizadas de D, seguindo o alfabeto. Em seguida, o caminho feito foi inverso. Eram necessárias pilhas menores, e assim surgiu a AA. Conforme o tamanho ia diminuindo, eram adicionadas outras letras “A”. Não existe uma pilha B ou A, porque nunca se seguiu o alfabeto e nem uma sequência lógica.

Resposta de Gabriel Lemes, técnico laboratorial do Instituto de Química da USP de São Carlos.

Últimas Curiosidades

Artigos Relacionados

20 curiosidades sobre Gisele Bündchen

20 curiosidades sobre Gisele Bündchen

Gisele Carolina Nonnenmacher Bündchen nasceu no dia 20 de julho de 1980, em Horizontina, no Rio Grande do Sul. Tem cinco irmãs, entre elas Patrícia, que é sua gêmea. Quando era adolescente, foi chamada para ser jogadora profissional de vôlei. Em 1996, Gisele desfilou...

Curiosidades dos grandes nomes da alta costura

Curiosidades dos grandes nomes da alta costura

Prada Criada pelo italiano Mario Prada em 1913, a grife era inicialmente especializada em luxuosas malas de viagem e artigos de couro. Em 1978, a sobrinha de Mario, Miuccia Prada, assumiu os negócios da família. Miuccia Prada — membro do Partido Comunista Italiano na...

Como descobri a história do sabão em pó Omo

Como descobri a história do sabão em pó Omo

Hoje é bastante simples encontrar na internet a explicação para o nome do sabão em pó Omo. Mas, em 1996, quando estava pesquisando as histórias de marcas famosas para "O Guia dos Curiosos - Invenções" (a primeira edição se chamou "O Livro das Invenções"), a coisa não...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *