Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Por que há pilhas AA, AAA, C e D, mas não há A e B?

26 de maio de 2020

A identificação de pilhas utilizando letras começou como uma anotação conveniente para especialistas, para identificar o comprimento, diâmetro e formato. Com o tempo essa identificação acabou sendo regularizada pela American National Standards Institute, que regulamenta as normas técnicas dos Estados Unidos. A primeira pilha, utilizada em lanternas pequenas, foi chamada aleatoriamente de C. Logo depois, as lanternas maiores precisaram de pilhas maiores e as pilhas foram batizadas de D, seguindo o alfabeto. Em seguida, o caminho feito foi inverso. Eram necessárias pilhas menores, e assim surgiu a AA. Conforme o tamanho ia diminuindo, eram adicionadas outras letras “A”. Não existe uma pilha B ou A, porque nunca se seguiu o alfabeto e nem uma sequência lógica.

Resposta de Gabriel Lemes, técnico laboratorial do Instituto de Química da USP de São Carlos.

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Quem é o criador do Museu do Dodge?

Quem é o criador do Museu do Dodge?

O empresário paulista Alexandre Badolato lembra até hoje a data em que comprou seu primeiro Dodge: 6 de janeiro de 1999. Ele tinha 19 anos e arrebatou um Le Baron 1981. Oportunidades de comprar outros foram aparecendo e, quando ele percebeu, já tinha virado um...

10 curiosidades sobre o Instagram

10 curiosidades sobre o Instagram

O Instagram foi criado pelos desenvolvedores de softwares Kevin Systrom e Mike Krieger e lançado nos Estados Unidos em 6 de Outubro de 2010. A primeira versão era exclusiva para iPhones. O Instagram nasceu como uma rede social para compartilhamento de fotos e vídeos,...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This