O ex-jogador Ronaldinho Gaúcho e o irmão, Assis, foram autorizados a deixar o Paraguai, depois de 171 dias de prisão. Os dois pagaram uma multa equivalente a 200 mil dólares. Os dois ficaram um mês numa penitenciária e depois foram transferidos a um hotel. O crime dos dois foi entrar no país com documentos adulterados.