Quem recebe os direitos autorais do livro de Adolf Hitler?

Quem recebe os direitos autorais do livro de Adolf Hitler?

Na Alemanha, Hungria, Portugal, Suíça e Suécia, entre outros países, a edição e venda de Minha Luta é proibida. Nos poucos países em que a edição e venda são regulares, os direitos autorais já estiveram em vários bolsos, além dos de Hitler. Durante a guerra, o governo americano arrecadou mais de 20 mil dólares sobre a obra. A renda foi revertida ao país, até que, em 1979, a editora Houghton Mifflin comprou os direitos de tradução. Desde então, a editora americana tem vendido cerca de 15 mil exemplares por ano e, tendo sido questionada sobre a lisura do negócio, decidiu reverter toda a renda a instituições de caridade. Na Inglaterra, os direitos autorais dos três mil exemplares vendidos anualmente pertencem à agência literária Curtis Brown, que transferia a verba para uma instituição que foi mantida no anonimato por bastante tempo. Mais tarde, foi revelado que o dinheiro ia para o Conselho de Bem-Estar Alemão, órgão responsável pelo conforto de refugiados judeus nascidos na Alemanha. Com poucos membros para sustentar, os fundos começaram a ser encaminhados para a editora Random House, que adquiriu a Hutchinson e hoje pertence ao conglomerado alemão Betelsmann. Os direitos das edições que não são produzidas em língua inglesa – vendidas na Romênia, Rússia e outros poucos países – pertencem ao estado da Baviera (Alemanha), que confiscou todos os bens de Hitler.