Dilma Rousseff tornou-se a segunda presidente a sofrer impeachment no Brasil –  Fernando Collor foi o primeiro em 1992.  O processo foi iniciado em 2 de dezembro de 2015. Na Câmara dos Deputados, o impeachment teve 367 votos favoráveis, 137 contrários, 7 abstenções e duas ausências. No Senado, a contagem foi de 61 votos favoráveis, 20 contrários e duas faltas.