No final da década de 1950, quadrinhos pornográficos invadiram as bancas. O autor usava o pseudônimo Carlos Zéfiro. Sua identidade permaneceu em segredo até ser revelada pela revista “Playboy”, em 1991. Carlos Zéfiro era o funcionário público Alcides Caminha.