Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Meninas Superpoderosas

24 de abril de 2019

1. O desenho “As Meninas Superpoderosas” nasceu de um trabalho de Craig McCracken para a faculdade de animação do California Institute of Arts. Neste projeto, as personagens se chamavam The Woopass Girls

2. Em 1995, foi convidado a participar do programa de novos talentos Estréia Mundial de Toons, do Cartoon Network. Criou, para tal, As Meninas Superpoderosas e O Laboratório de Dexter.

3. As histórias de Lindinha, Florzinha e Docinho chegaram a deter uma das maiores audiências da televisão norte-americana e já foram traduzidas para 14 idiomas.

4. Para criar os enredos, McCracken se inspirou em episódios da sua infância. Ele costuma imaginar o que teria feito na ocasião se tivesse superpoderes.

5. Também há nas histórias muitas referências a desenhos japoneses, como Ramma e Hello Kitty, ao Batman dos anos 60 e outras séries clássicas, como Jay Ward e Supermouse.

6. Os nomes das personagens em inglês são Bubbles, Blossom e Buttercup. Traduzindo ao pé da letra, eles querem dizer, respectivamente, Bolhas, Florescer e Xícara de Manteiga.

7. A receita criada pelo Professor Utonio para dar vida às Meninas Superpoderosas consistia em uma mistura de açúcar, tempero e tudo o que é bom. A intenção do cientista era apenas criar garotas perfeitas. Ocorre que, por acidente, seu assistente, o macaco Caco derrubou no caldeirão uma substância de nome Elemento X, que deu às mocinhas poderes especiais.

8. Lindinha tem a capacidade de falar com os animais, Florzinha possui um sopro congelante e Docinho, visão de raio x. Todas as três podem voar.

9. Lindinha, Florzinha e Docinho ainda estão no jardim-de-infância. Elas freqüentam a Escola Carvalhinho (Pokey Oaks Kindergarten, em inglês), na cidade de Townsville.

10. O desenho já foi indicado três vezes ao Emmy de melhor programa de animação.

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This