Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Autor pernambucano faz histórias de Pokémon e Game of Thrones em cordel

14 de janeiro de 2017

Josué Limeira, 51 anos, nascido e criado no Recife, faz da literatura de cordel um passatempo desde 1996. Em 2012, porém, Josué resolveu fazer disso uma profissão. Lançou um livro sobre o centenário de Luiz Gonzaga, o “Rei do Baião”. Iniciava ali sua trajetória como cordelista. Mas como um cordelista diferente. Orgulhoso das raízes e da linguagem nordestinas, ele pensou que poderia levá-las às crianças do Brasil afora “poetizando” obras famosas da literatura mundial.

A primeira ideia foi a de adaptar “O Pequeno Príncipe”, de Antoine Saint-Exupéry. Ele deu um toque nordestino para o texto e Vladimir Barros, do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação, fez as ilustrações. O menino protagonista ganhou chapéu de cangaceiro; o Rei ganhou fitinhas de São João em sua coroa; a flor do deserto brotou de um cacto. Foi com esses e muitos outros trunfos que Josué tentou vender a ideia para as editoras: “Não consegui por causa da questão dos direitos autorais”, recorda. Então, em 2015, ano em que a morte de Exupéry completou 70 anos, a obra entrou em domínio público e ele finalmente pôde publicar. Paralelamente, já se dedicava à carreira de cordelista no projeto “Cordéis de Amor”, onde faz homenagens por encomenda.

Cordelista Josué Lima segura a adaptação de “O Pequeno Príncipe”, finalista do Prêmio Jabuti (Foto: Divulgação)

“Uma semana depois do lançamento, uma escola de Brasília apresentou o livro para os alunos”, surpreendeu-se. “Comecei a viajar para dar palestras e a repercussão foi muito boa”. O livro ganhará em breve uma adaptação teatral. Para ele, o trabalho tem como uma de suas principais funções aproximar os mais jovens da cultura nordestina: “Com uma história conhecida, posso valorizar a nossa cultura, posso torná-la conhecida entre os jovens”, completa. O sucesso foi tanto que o livro foi indicado ao Prêmio Jabuti, o mais importante da literatura brasileira, em 2016.

Numa dessas visitas a escolas, Josué descobriu um novo filão ainda inexplorado na literatura de cordel. “Quando comecei a visitar as escolas, a criançada sempre me perguntava se eu tinha escrito alguma coisa sobre Pokemón. Foi um desenho que fez parte da infância do meu filho. Foi aí que tive a ideia de fazer um cordel sobre Pokemón”. O cordel “O matuto e o Pokemón” tem ilustração de Guilherme, filho do autor, hoje com 24 anos. “Anastácio de Zezé / Matuto de profissão / Caçador de chupa cabra / Sem medo de assombração / Ganhou um novo celular / Pra receber ligação / Era um celular bonito / Com 3G e com wifi / Atrás dele tinha escrito / Não se quebra quando cai”, narra o início da obra.

Cordéis adaptam histórias famosas: comercialização vetada.

O “conflito” do matuto com um dos aplicativos mais comentados do ano de 2016 ganha um toque de humor digno de quem conhece o assunto: “Eu aprendi a jogar com o Guilherme”, confirma Josué. “Anastácio foi pra roça / E como estava sozinho. / Apertou na Pokebola / Que mostrou logo um caminho. / Tinha um cabra de mochila / Arrumado e magrinho. / Não demorou muito, amigo, / Já pulou um rato roxo / Com os dentes afiados, / Assombrado e afoito. / Chamava-se Rattata, / Queria comer biscoito”, narra ele em outro trecho.

Outra história que ganhou forma de cordel foi a série “Game Of Thrones”. Josué, espectador assíduo da produção, escreve assim: “Esse tal de Game of Thrones / É de cortar o gogó. / Todos querem a cadeira / Mas só levam a pior. / A cabeça é cortada, / No coração é flechada / E o povo ri sem dó / (…) / Na casa lá dos Stark / Pra bandas de Winterfell / Morava um tal de Ned / Tinha filhos a boléu. / Era protetor do norte / Mas coitado não deu sorte / E partiu para o beleléu”.

Josué está sempre na tradicional Feira da Rua do Bom Jesus, aos domingos, no Recife Antigo. Os interessados em saber mais de sua arte podem escrever para josue.limeira@gmail.com.

Leia também:
Depois de “O Pequeno Príncipe”, cordelista pernambucano lança “A Revolução dos Bichos” em versos
Curiosidades sobre literatura de cordel

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

1 Comentários

1 Comentário

  1. Salete Nascimento

    Que beleza! Temos que falar e ilustrar a nossa histiria a historia do nordeste, mesmo que inclua as novas palabras da tecnologia. Cordelista é assim, tem uma visão duferente e com isso faz a diferença. Parabéns!

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This