Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

10 curiosidades sobre o Monte Everest

24 de abril de 2019
  1. Localizado entre as placas tectônicas Indiana e Eurasiática e formado há 30 milhões de anos, o Monte Everest, considerado o mais alto do mundo (8.850 metros), cresce 4 milímetros por ano. Ele foi identificado pelo procurador-geral da Coroa Britânica na Índia, Sir George Everest, em 1856. O cume, localizado na cordilheira do Himalaia, possui 60 milhões de anos. No pico do Everest, a temperatura média vai de -40 ºC a – 50 ºC. A velocidade média do vento no cume da montanha é de 162 km/h.
  2. O Monte Everest recebe anualmente 60 mil turistas que visitam sua base e 1.300 alpinistas que arriscam a escalada. Cerca de 80% dos acidentes ocorrem no caminho de volta do cume. A principal causa de mortes para os que se arriscaram a subir o monte são as avalanches. Cerca de 120 corpos já foram abandonados no local. A melhor época para tentar a escalada, de acordo com especialistas, é durante os meses de abril e maio.
  3. Durante muito tempo, o povo sherpa, nativo da região, teve receio de escalar a encosta da montanha porque acreditava que ela era a morada dos deuses. Com a chegada dos estrangeiros no início do século XX, porém, eles passaram a trabalhar como guias de expedição, principalmente nas realizadas no período do entre guerras. Eles se oferecem para carregar a bagagem dos turistas. Justamente por viver em grandes altitudes, a população se adaptou ao ar rarefeito. Se um alpinista consome em média 3 litros de oxigênio engarrafado por minuto, um sherpa utiliza apenas 1 litro. Hoje, há cerca de 70 mil sherpas no Himalaia.
  4. O primeiro explorador a se aventurar nas encostas do Everest foi John Noel. Em 1921, George Mallory e sua equipe começaram a explorar o lado norte da montanha. Ele tentou por três vezes vencer as dificuldades da subida. A última empreitada, porém, acabou sendo fatal. O corpo de Mallory permaneceu desaparecido até 2000, quando o alpinista Conrad Anker o encontrou a 240 metros de distância do topo.
  5. A conquista do Everest se deu em 1953. O neozelandês Edmund Hillary e o sherpa Tenzing Norgay atingiram o ponto mais alto do mundo em 29 de maio e, ao final de sua escalada, Hillary declarou: “Nós vencemos o bastardo”.
  6. O primeiro brasileiro a alcançar o cume do Himalaia foi Waldemar Niclevicz. Sua aventura começou em 1991. Naquele ano, o alpinista recebeu um convite para subir o Everest em uma expedição organizada por franceses. O grupo não resistiu ao rigoroso outono da montanha e desistiu da escalada quando estava a 8.504 metros de altura (o cume fica a 8.848 metros de altura). Quatro anos depois, Nieclevicz resolveu tentar novamente. Desta vez, teve que iniciar a subida pelo Tibete, já que uma série de restrições governamentais o impediam de seguir pelo Nepal. O aventureiro enfrentou ventos de até 160 km/h e temperaturas de cerca de 13 graus negativos. Chegou ao local às 11h22 do dia 14 de maio de 2005. Junto com ele estava o carioca Mozart Catão. A dupla ficou no topo do Everest durante 3 horas.
  7. Em 1973, Sambu Tamang, do Nepal, despontou como a pessoa mais jovem a subir o Everest. Ele tinha 16 anos na época. Dois anos depois, a primeira mulher chegou ao topo do monte. Tratava-se da japonesa Junko Tabei. E o mais velho a atingir o cume foi Lev Sarkisov, em 1999, quando tinha 60 anos de idade.
  8. Em 2001, o americano Erik Weihenmayer foi o primeiro cego a chegar ao cume do Everest. Em 2006, o neozelandês Mark Inglis se tornou o primeiro amputado a conquistar o topo. Sem as duas pernas, ele contou com a ajuda de próteses.
  9. O alpinista brasileiro Vitor Negrete morreu no dia 19 de maio de 2006, horas depois de se tornar o primeiro brasileiro a atingir o topo da montanha pela face norte (a mais difícil), sem auxílio do tubo de oxigênio. A causa provável da morte do alpinista foi exaustão, agravada pelo frio intenso da montanha. O corpo de Negrete foi sepultado no próprio Everest, uma vez que os ventos da rota norte não permitem o uso de helicópteros de resgate.
  10. Especialistas preveem que, devido ao aquecimento global, em 2060, as geleiras do Himalaia já tenham desaparecido. Essas geleiras são responsáveis por abastecer 9 importantes rios asiáticos e, consequentemente, 1,3 bilhão de pessoas. Em 2010, o nadador e ativista ambiental Lewis Gordon Pugh, na época com 40 anos, escalou 5.300 metros do Monte Everest para nadar 1 km nas águas geladas de um lago. Pug nadou por 20 minutos usando apenas uma sunga, uma touca e um óculos. A atitude foi a forma que ele encontrou para chamar a atenção da mídia sobre o perigo das mudanças climáticas. Ele foi a primeira pessoa a nadar em um lago da região Khumbu do Everest. Ele também é a única pessoa do mundo que já nadou provas de longa distância em todos os oceanos do mundo, e, em 2007, foi o primeiro homem a nadar no Polo Norte.

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Os vulcões no Brasil

Os vulcões no Brasil

Os vulcões no Brasil estão extintos há algumas dezenas de milhões de anos. O país se beneficia por estar no centro da placa tectônica sul-americana. A atividade vulcânica mais recente no Brasil ocorreu há cerca de 65 milhões de anos, e resultou na formação de ilhas...

A fúria dos vulcões

A fúria dos vulcões

Todos os anos, sessenta vulcões entram em erupção. Eles são responsáveis por tragédias marcantes da história da humanidade. Desde o ano 79, quando o Vesúvio dizimou milhares de habitantes em Pompeia, mais de 240 mil pessoas já morreram por causa das explosões. Só na...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This