Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Propaganda do TSE ou da Coca-Cola? Será que só eu confundi?

15 de maio de 2014

Ouvi algumas vezes a nova campanha do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e, distraído no carro, demorei a perceber que ela não era mais um daqueles comerciais da Coca-Cola sobre a Copa do Mundo. A batida, o ritmo e o “ôôôô” são muito parecidos.  Se você ainda não ouviu, clique no vídeo abaixo, antes de continuarmos o assunto:

Comentei isso aqui na redação e o repórter Lucas Strabko foi tirar a prova nas ruas. Ele levou uma gravação da campanha “Clima de Eleição” num iPod. Fez um teste com 42 pessoas (sem qualquer base científica, eu sei!). Pediu que as pessoas ouvissem o trecho inicial e identificassem de que produto era o comercial. O resultado é que não estou tão maluco assim. Vinte pessoas disseram que a música era da marca de refrigerante e apenas cinco a identificaram como uma música que trata das eleições no Brasil. “Já tinha ouvido as duas e notei que são bem parecidas mesmo”, afirma o publicitário Ricardo Freire. “A levada da percussão é semelhante. E, como o assunto é o mesmo, fica mais parecido ainda”. O diretor de cinema Alessandro Bulgarini, que gravou o comercial do TSE, nega qualquer influência da marca de refrigerante. “O objetivo era trazer a brasilidade de volta para conscientizar eleitoralmente”, declarou ao Blog do Curioso. “A Coca-Cola nunca foi nossa referência”. A coordenadora de comunicação do TSE, Verônica Couto, garante que a ideia foi criar um clima de festa para a eleição de 2014. “Buscamos uma coisa diferenciada, e não sisuda, como costumava ser”, diz. “Outras propagandas têm um sentimento de alegria, como a que o nosso país vive atualmente.”
Há um ano, o clipe da música “Todo Mundo”, estrelado por Gaby Amarantos e pelo Monobloco, foi divulgado pela Coca-Cola como o tema da marca para a Copa  de 2014.  O clássico “ôôôô”, que caracteriza a publicidade da empresa, foi novamente usado. Renato Biguli, integrante do Monobloco, não vê motivo para se irritar com essa confusão. ” Deixa rodar. Se fosse ruim, ninguém copiava.”, deu de ombros. A gravação do comercial da Coca-Cola foi feita na Cidade de Deus, no Rio de Janeiro. “É muito bom representar a música popular brasileira para todo mundo.”

A proximidade das construções atuais gera críticas do compositor e  jinglista Tavito: “Essas duas peças são parte de um tsunami de “ôôôôs” lançados para a Copa, egressos todos de velhos motes de torcida e de antigos sucessos do ramo”, dispara.  “Os ritmos são os mesmos, aqueles da moda, o que torna tudo meio parecido entre si, fenômeno natural nesses tempos de mesmificação.”

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Together: o projeto secreto do criador de I Love NY

Together: o projeto secreto do criador de I Love NY

Jeremy Elias, repórter do "The New York Times", pensou na pauta: o criador do icônico "I <3 NY", em 1977, estaria pensando em usar a logomarca quando a pandemia acabasse? Elias conta que esperava que seu e-mail fosse respondido por algum assessor do célebre...

2 Comentários

2 Comentários

  1. Kristie

    Diga-se de passagem: os clips e a música da Coca Cola são bem mais empolgantes que o clip /música oficial da Copa!

    Responder
  2. Melchior

    Na primeira vez que vi o comercial pensei mesmo que se tratava de um comercial da Coca-Cola. Ficou muito parecido.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This