Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Quem usava o anel brucutu?

31 de outubro de 2009

Quem aí tinha um anel brucutu? Cuidado para não denunciar se você é jovem, velho ou dinossauro na resposta. Esse foi mais um tema que gerou muitos comentários no “Você é Curioso?”.

SANTANÓPOLIS: QUEM SE LEMBRA DO BRUCUTU 2

O “anel brucutu” foi uma febre criada pela Jovem Guarda. Inspirados por Roberto e Erasmo Carlos, os rapazes achavam o máximo usar um anel enfeitado com o tal brucutu. “Brucutu” era uma pecinha do Fusca responsável por esguichar água no para-brisa do carro, com o autoexplicativo nome técnico de “bico ejetor de água para o para-brisas”.

Pra Sempre Roberto Carlos: "ROBERTO CARLOS EM DETALHES" - PAULO ...

O apelido veio de uma música homônima de Roberto Carlos, lançada no álbum “Roberto Carlos canta para a juventude” (1965).

A moda de roubar o brucutu para fazer anel ganhou tanta força que era difícil encontrar um Fusca intacto. Afinal, valia tudo para conquistar aqueles brotos, mora?

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Fatia de bolo Real guardado por 40 anos

Fatia de bolo Real guardado por 40 anos

O britânico Gerry Layton pagou 1.850 libras (US $ 2.565) pela cobertura de uma fatia de bolo servida no casamento do príncipe Charles e da princesa Diana em 1981. O colecionador estava interessado pela arte do bolo, um desenho...

O menino dos Cigarrinhos Pan

O menino dos Cigarrinhos Pan

O ator Paulinho Pompéia, garoto-propaganda dos Cigarrinhos de Chocolate Pan (em 1996, a empresa mudou o nome para Rolinhos de Chocolate, para que eles não servissem de estímulo ao tabagismo), morreu em 30 de junho de 2021, aos 72 anos.   A edição de abril de 2003...

Uma barra de chocolate com 121 anos

Uma barra de chocolate com 121 anos

Uma barra de chocolate histórica foi encontrada intacta, com embalagem e tudo, 121 anos depois de produzida. A Rainha Vitória encomendou 100 mil barras de chocolate para presentear os soldados ingleses que estavam lutando na segunda Guerra do Bôeres, entre 1899 e...

77 Comentários

77 Comentários

  1. davis

    que saudades daquele tempo!!!! este nao volta mais, hoje tudo mudado,

    Responder
    • cesar

      obvio que o tempo não volta nunca, e obvio que tudo muda….

      Responder
  2. Tom

    Além de furtar o “brucutu”, furtava-se também o brasão que ficava colado bem abaixo do capô do Fusquinha pra usar como Botons nas lapelas das “Japona” kkk. Genial.

    Responder
  3. Antonio Carlos

    Eu mesmo fiquei sem o brucutu no meu fusquinha.
    Comparado com a deliquencia juvenil de hoje, isto é fichinha,
    O que mudou na sociedade? Porque os jovens hoje não se contentam em tomar cuba libre e dançar J´TAime. Tem que ter maconha e cocaina na parada? Pobres de nós, pais de hoje.!!!

    Responder
  4. Nana

    Tom, c/ todo respeito, “japona” é do tempo de D. João Charuto. De qq. forma, não cheguei a usá-lo mas me lembro do anel e da música. Eu tinha 06, 07 anos na época.Tempos de inocência.Depois veio o Mug, o boneco da sorte. Nada minha maldade.Quq bom termos passado por esta época!

    Responder
  5. VITOR

    Na minha região era anel brucutu e o simbolo da paz feito com os dois dedos me parece criado por John Lenon, geralmente talhado em couro!!!

    Responder
    • JMFernandes

      Era o “paz e amor” ou, indo um pouquinho mais fundo … “MAKE LOVE NOT WAR” … essa é do fundo do baú !

      Responder
  6. JOVEM "GUARDA"

    ERA ANEL BRUCUTU E O SIMBOLO DA PAZ ME PARECE CRIADO POR JOHN LENON ESTILIZADO EM COURO E PENDURADO AO PESCOÇO, ÉRA MUITO LOUCO!!!!

    Responder
  7. JOVEM "GUARDA"

    ERA ANEL BRUCUTU E O SIMBOLO DA PAZ ME PARECE CRIADO POR JHON LENON ESTILIZADO EM COURO E PENDURADO AO PESCOÇO, ÉRA MUITO LOUCO!!!!

    Responder
  8. verinha alves

    Ahahahahahahahah
    Vcs não vão acreditar, mas eu tenho
    um anel “brucutu” desses do fusquinha até hj.
    Como boa “canceriana” q adora o passado,ganhei
    de um “paquerinha” da época e guardei. Outro dia
    mostrei prá minha filha e contei a história do anel e
    ela morreu de rir. (ela tem 23 anos)
    Ah Nana (18:26) “japona” não é do tempo do D. João
    Charuto,não! Eu q tenho SÓ 56 anos usei a tal japona.
    Não me acho um “dinosauro”. Mas fala sério, aquele
    era um tempo bom, não era???????

    Responder
  9. VITOR

    ERA ANEL BRUCUTU NO DEDO E COLAR DA PAZ COM OS DOIS DEDOS FAZENDO O “V” ME PARECE CRIADO POR JOHN LENON , MUITO LOUCO !!!!!

    Responder
  10. Jose

    Houve um tempo que acabaram os do fusca.
    Roubaba-se entao dos Aero Willis que era mais giro.

    Responder
  11. Jose

    Roubaba-se entao dos Aero Willis que era mais giro.

    Responder
  12. Raphael

    Eu era mais criativo, cortava casca de abacate ao meio e fazia um brucutuzao

    Responder
  13. Paulo

    Bons tempos, criava-se tudo com inteligencia e simplicidade.
    Havia uns que davam uma incrementada no dito anel, colocan
    do no lugar dos furos alguma coisa brilhante.Valeu a lembran
    ça.Parabens.

    Responder
  14. genivaldo albuquerque

    OLA TODOS. EU JA TENHO DUAS NETAS Grotinhas, afinal 59 anos traz estas belezas. mas eu melembro do tempo d JOVEM GUARDA. HOJE EM DIA EU USO O V DA VITORIA SEMPRE QUE TENHO A OPORTUNIDADE. PESSOAS OLHAM E NAO ENTENDEM. QUE PENA QUE PERDERAM E TAMBEM ACABOU. PENA PENA PENA TCHAU VCS

    Responder
  15. laerte

    Eu tenho um anel BRUCUTU original. Essas peças que estão ao lado do fuska,não são do anel.

    Responder
    • Euclides

      Tem razão Laerte! Eu estava justamente reparando nisto. As peças que aparecem devem ser, na realidade, da trava do quebra-vento. E este “fusca” que aparece na foto não é brasileiro, é um alemão de época bem anterior aos que foram fabricados aqui! Outro detalhe interessante: o nome “fusca” veio da região de colonização alemã(por causa da pronúncia em alemão e, aos poucos foi conquistando espaço em São Paulo e no Brasil!

      Responder
  16. MARCO

    Eu era ainda pequeno 8 anos, mas a peça do fusca que usavamos como anel era a base da antena.
    E ela muito se assemelha à da figura.
    Mais adulto tentei usar um deste que achei, mas não cabia mais nos meus dedos.
    Aos 8 passei para o 2º ano e ganhei uma japona cinza.
    Se achasse novamente usaria numa boa.
    Eram feitas de lâ comprensada. Quentinha.
    Medalhão até tentei comprar mas a grana não deu.
    Brucutu era um personagem de histórias em quadinhos.

    Responder
  17. JOÃO CARLOS

    Bem além de achar aquilo uma coisa idiota, ainda por cima fui acusado injustamente de roubar um. Portanto ñão tenho boa lembranças daquela época. Por outro lado, quero lembrar ao Antonio Carlos que ficou sem a peça do seu fusquinha, que aqueles que roubavam os tais “brucutus” hoje são pais desta geração que vc. critica…

    Responder
  18. ramon orres

    SO FALTOU MOSTRAR O ANEL QUE ERA A PEÇA QUE ESQUIJAVA A AGUA NO NO VIDRO DIANDEIRO DO FUSCA QUE PARECIA COM O BRUCUTU

    Responder
  19. Jorge Pinto - Curitiba

    Bons tempos no Alto da Gloria (Cabral) , dava um trabalhão pra tirar , eu com meus 10 anos saia com os amigos perto de casa e quando a gente via um fusca era aquela correria pra ver quem tirava primeiro , o bom era quando chovia ficava mais façil ,….. e quanto a japona eu tinha uma azulona de botões , era quentinha a danada , bons tempos que me trazen muitas recordações …… valeu!!!!!!!!!!

    Responder
  20. Marcelo Arruda

    Tenho uma memória, daqueka época, eu ainda menino, 10-12 anos de odade, do programa Jovem Guarda, dos Reis do Ringue, do Tedy-Boy Marinho, do Fontoma, etc., da programação infantil de TV Excelsior; dos seriados com o ‘Homem da Ancou’ [?], Gin da Selva, dos Álbuns de figurinha da Copa de 70, etc. etc.
    Ah! a minha irmã usava vestido de piquet!!! Era moda, tecido de fazer colchas também se fazer roupas….
    Realmente outros tempos…

    Responder
  21. Sergio

    Caramba…! Muito brucutu eu arranquei de fuscas, na minha aborrecencia, em Erechim-Rs… a gente usava uma correntinha no pescoço, quanto mais tinha, mais “galo’ era o cara.
    Depois a WV lançou um tipo novo que era só de borracha e outro parafusado, aí acabou a festa.
    Mas tinha anéis “genéricos” em formato de brucutu, naquele tempo já tinha gente “empreendedora”….
    E era no tempo da “japona” sim!!!

    Responder
  22. Carlos

    Quem nãopegou um brucutu na moita para exibir a rapaziada
    Epoca legal, uma Braza mora !

    Responder
  23. Fabio

    Essa peça ao lado do fusca, era da antena do carro – A peça que esquichava agua, era tipo uma metade de noz, com 2 furos que nos pendurava-mos em cordões no pescoço.

    Responder
  24. ricardo

    e o album de figurinhas ” Reis do ringue”??? = tinha o Teleketi Montila com Ted Boy Marino, limão… dedo no olho fantomas, e tudo mais. – Quem se lembra???

    Responder
  25. curioso-categoria{a}:bau,musica

    QUE recordacao maravilhosa que voce genio arrancou
    de dentro do bau, que tempo bom era aquele!
    tempo do cabelo comprido beca boca sino, e os bailinhos,
    nas garagens. dancando todos felizes .
    HOJE tudo mudado, PARA pior!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Responder
  26. DJALMA

    PUXA O TEMPO PASSA DEPRESSA, PARECE QUE FOI ONTEM QUE USAVA SE CALÇAS LEE APERTADINHA ,ANEL BRUCUTU,CABELOS LONGOS CAMISAS CACHARREL ERAMOS FELIZES NAÕ HAVIA VIOLÊNCIA ,ANDÁVAMOS PELA MADRUGADA AFORA SEM MEDOS,QUALQUER ESQUINA TINHA UM BAILINHO E LINDAS GAROTAS COM SUAS MINI SAIAS,MUSICAS LENTAS E BONITAS,E HOJE QUE DIFERENÇA,VIOLÊNCIAS, FALTA DE RESPEITO COM O PRÓXIMO E AS MUSICAS QUE HORRÍVEL SEM LETRA SEM MELODIA SÓ TEM NO MAXIMO TRES FRASES PORNOGRÁFICAS OU INCENTIVANDO A VIOLÊNCIA E ELES SE ACHAM O MÁXIMO O MUNDO JA ACABOU LA PELOS ANOS 80 MAS NINGUÉM AINDA PERCEBEU, ABRAÇOS…..

    Responder
  27. Arno

    Bem, não sei se foi essa a intenção, mas, as peçinhas mostradas ao lado do 1º fusca, elas não tem nada haver com o anel de brucutu.
    Eu tive um e também até, na época surrupiei um deles para fazer um anel.
    Essas peças daí, pra mim, uma é a base de antena telescópica e a outra é a maçaneta do quebra-vento, só não sei se é de fusca.
    Bons tempos aqueles….

    Responder
  28. Lair

    Bons, bons tempos mesmo….Ainda lembro dos roubos em fusquinhas..Época em que isso era uma travessura.. Como mudam as coisas…Eta mundinho de cão…

    Responder
  29. getulio grigoletto

    eu tenho um brucutú autêntico.
    esses da foto de vocês, não tem nada a ver.
    aliás, posso vender o meu.
    vou colocar uma foto dele em meu site:
    http://www.getuliogrigoletto.cng.br

    Responder
  30. escher

    Lembro das calças Tremendão que vinha com um chaveiro e de uma japona de courvin que na parte de baixo tinha um botão grande com o Calhambeque dentro. E fora do contexto, tinha tb as camisas Volta-Ao-Mundo da Arsati, com velcro no lugar de botões. Como era toda de material sintetico que impedia a transpiração….. Ai, bom,,,,, a coisa começava literalmente a feder. Alias, se alguem tiver o logo do Calhambeque, o original, peço me enviar. Sds

    Responder
  31. Nelson Jr.

    O brucutu era o acessório que espirrava a água para limpar o para brisa

    Responder
  32. Gelson

    Éramos felizes e não sabíamos …
    As peças que aparecem ao lado do carro, realmente não tem nada a ver com o objeto de metal que era furtado.
    Tempos bons do sabão em Pó Rinso, refrigerante Grapette, Televisão Colorado RQ, camisa Volta ao Mundo branca, calça Brim Coringa. Musicas Romanticas, a turma da Jovem Guarda ( Roberto e Erasmo Carlos, Wanderléa, Evinha, grandes conjuntos ( ainda bem que não existia Banda Calipso, …), bolinhas de gude, fusca 4 portas que não vingou, Rin Tim Tim, Perdidos no Espaço e por aí afora…

    Responder
  33. Carlos Eduardo

    Me deu vontade de convidar todos vocês para uma “brincadeira” de domingo à tarde, dançar ao som de Rita Pavone e tomar umas cubalibres (mamãe: menino não esquece de levar a japona que na saída (19h) pode esfriar….

    Responder
  34. Armando Neves

    Brucutus, japonas e o tempo bom com tanta inocência que não voltam mais…

    Responder
  35. joão barrocal

    aqui em Guarulhos quem não se lembra das brigas homéricas entre as turmas, hoje seculo 21 ainda não mudou, sera que estou errado ou ainda não evoluimos……

    Responder
  36. gabi costa

    o difícl era tirar o esguichinho daquele lugar e virar um anel hahahah

    Responder
  37. Raphael

    Jã que extrapolamos que tal lembrar da camisa ‘Volta ao Mundo

    Responder
  38. NOBRE MORELLI

    com todo o respeito aos colegas que curtiram esse “brucutú”. Eu tinha 17/18 anos naquela época, porem nunca achei graça e achava rídiculo quem usava!.

    Responder
    • Reinaldo Pedroso

      Já eras velho.

      Responder
    • José Carlos

      Meu Deus, mas será que sempre tem que ter um chato por perto?

      Responder
  39. Ror

    fala sério, roubavam a parte dos fusca e falam q era o certo ¬¬’. então quando eu ver o carro d vcs vou robar a capota toda pra fazer uma prancha xD

    Responder
  40. Reinaldo Pedroso

    1/11/2009 às 0:16 NOBRE MORELLI disse:
    “com todo o respeito aos colegas que curtiram esse “brucutú”. Eu tinha 17/18 anos naquela época, porem nunca achei graça e achava rídiculo quem usava!.”
    Já eras velho.

    Responder
  41. Carlo Bastos

    Bons tempos, aqueles! E não esqueçam da geração Woodstock e do próprio festival. Além da Jovem Guarda, também os Beatles faziam acontecer. As festinhas, hoje chamadas “baladas”, neste tempo eram “tertúlias”, regadas a muita “Cuba Libre” (Rum com Coca-Cola).
    As “pantalonas” que vestiamos eram das marcas “Lee” ou “Levis”, se importadas e “Faroeste”, se nacional.
    E todas “boca-de-sino”. Imagine! Calça “Faroeste”!
    E os tênis: eram “Conga”. E as camisas? De malha comum, tipo “Hering” tingidas no processo “Tai Dai”.
    Tempos que não voltam mais!
    Carlo Bastos

    Responder
  42. Dora

    Todo assunto tem q ter um “brutu” prá tentar dar pitaco… Japona, inverno de 1964, de lã, de napa, de feltro. Eita nóis! Tamos aqui… ainda! Direto do tempo de Dom João charuto: não é prá quem quer, é prá quem já era nascido, e era mucho bom!!!

    Responder
    • Arthur

      Pois é , foi a época mais feliz da minha vida; duro , estudante, sem um centavo no bolso , mas não existia crack, politicos safados ( os militares estavam no comando , lembram ?), aprovação automática nas escolas, banalizaçao do sexo, burrice generalizada,vagabundos e sfados como nossos governantes !!!!! e como disse a Dora acima , EITAA NÓS !!!

      Responder
  43. realista

    Anel brucutu, e camisa tremendão (gola alta com botão)
    Vivi aquela época, alis vivo todas as épocas.

    Responder
  44. Tadeu

    Era o tempo que os jovens vivian, epoca do amor verdadeiro
    do tempo que as drogas era cigarros e uma farmacinha para agente ficasse numa .
    ( ETA TEMPO QUE ATÉ HOJE CURTO )

    Responder
  45. Sônia Guimarães

    Legal !!!
    Me senti de volta ao “mundo das cavernas”… Sem celulares, lep tops etc… As músicas e modas de uma época “ingenua” da jovem guarda!!!

    Responder
  46. teco

    tinha tambem a camisa volta ao mundo

    Responder
  47. TININDO!

    era só passar perto de um fusca que a rodinha tava formada!..
    Logo o brucutu ia “embora”. Eu roubava e dava de presente para as minas.

    Responder
  48. Mariliane

    Esse pessoal sim teve uma juventude saudavél… Agora lendo o artigo comentei com a minha mãe, ela me relatou que realmente foi uma febre…

    Responder
  49. TININDO!

    Era só a gente avistar um fusca que rodinha tava formada em volta dele. Arucutu ai era fatal, o brucutu voava.
    Eu roubei muitos e presenteava as minas!….

    Responder
  50. sergio

    Japona,calça de brim,calça de tergal,bonanza agente da uncle,gibi do riquinho,brotoeja,luluzinha,

    Responder
  51. Paulo Bento Bandarra

    Não dá para negar que a música era pra lá de babaca. E ainda tem gente que diz que a juventude hoje em dia é pior.

    Responder
  52. onna

    Estamos em 2009! Que bom…

    Responder
  53. branddo

    Esse anel Brucutu era um suporte da antena AM (não existia FM) e não do “bico ejetor para o pára-brisas” como fala o artigo, eu cheguei a usar esse anel (mas era muito pesado) e tem muito carro que ainda hoje tem só que ninguém rouba mais o anel brucutu, rouba o carro inteiro.

    Responder
  54. Ary

    Eu lembro dessa mania que rolava na época mas não sabia que tinha nome de brucutu não e pelo que eu lembrava a peça era da antena e não do esguicho. Lembro tambem que o pessoal roubava a letra “O” que vinha no opala e pendurava em um cordão, era difícil achar um opala como “O ” só via “pala” o “O” era comprido e o pessoal achava o máximo usar um cordão com aquele O pendurado………..rsrs

    Responder
  55. José Luiz

    O brucutu era encontrado no corcel I e belina e não no fusca Quem procurou essas pecinhas no fusca acabou procurando no carro errado, e as imagens acima não tem nada aver com o brucutu.
    J.L. Ribeirão Preto SP
    Obrigado!

    Responder
  56. joao

    já roubei muitos aneis de fuscas, foi uma fase muito boa da minha juventude, vivia em uma cidade pequena onde os fuscas eram vigiados com cão de guarda!

    Responder
  57. chris

    Eu era criança (claro) mas eu fiz muita birra pra ganhar um. Tinha duas contas de vidro imitando os olhos do “brucutu”.
    Todas as crianças da minha rua tinham também, cada um com os “olhos” de cor diferente.
    Adorei comentar essa matéria…………………

    Responder
  58. Varuna

    Não esqueçam a calça BOCA SINO; teve uma c/ cintura alta, depois foi lançada uma com cintura baixa. Sem contar os sapatos de salto carrapeta…

    Responder
  59. sandra

    EU TIVE UM ANEL DESSE.BONS TEMPOS .

    Responder
  60. Malu

    Jose Carlos, vc ta certo. Esse tal de Nobre é msm 1 chato.Aliás de “nobre” só tem o nome.

    Responder
  61. Alceu

    Fantástica essa matéria……..E a rodinha esta feita em torno do fusca, quando o dono percebia, já chegava preocupado cada uma falava coisas que ninguém entendia, pois não tinha sentido era só para disfarçar e o dono do fusca não perceber que o que queríamos mesmo era o BRUCUTU, mas se o dono não chegava, adeus BRUCUTU e viva a jovem guarda.

    Responder
  62. Dan

    “roubei” muitos Brucutus, depois, um pouco menos moleque, fui vendedor de calças “Calhambeque”

    Responder
  63. Sergio Utimura

    Na minha memória o “brucutu” era uma peça com duas aberturas por onde saiam os esguichos de água para o parabrisas, seu formato era semelhante aos capacetes utilizados por ciclistas que disputam provas de velocidade em circuitos fechados. A peça na foto parece ser a base da antena telescópica, marca Truffi, que era fixada do lado do motorista, próxima do espelho retrovisor, na época não havia a obrigatoriedade do espelho do lado direito dos carros.
    Valeu pela curiosidade, tanto para relembrar os anos 60, quanto para mostrar aos mais jovens como era a nossa adolescência e juventude.

    Responder
  64. Visionário

    Não que eu seja tão velho assim, mas, o Sergio Utimura, está coberto de razão. O anel “brucutu”, realmente era o suporte da antena do fusquinha. Alargava o seu interior e se usava como anel. O esguincho era, da mesma forma, cobiçado, como souvenir, e era utilizado numa corrente pendurada no pescoço.

    Responder
  65. Francisco Lima

    Brucutu

    Responder
  66. Francisco Lima

    Não me lembro, más a música Brucutú, eu conheço pois tenho o cd e curto muito Roberto Carlos principalmente as músicas dos anos 60 e 70, realmente são muito boas,tenho saudades daquelas músicas.

    Responder
  67. Manoel Mesquita

    Olha o Brucutu ! Bru-cutu . Boa tarde amigos!!! Que saudades daqueles tempos dourados em que passiàvamos às 3 da manhã na Av. Rio Branco sem lenço e sem documento e sem medo também, pois, não havia essa violencia danada que hoje prende as pessoaos em seus Ap’s. Era um tempo de amor livre das maldades de hoje. O meu anel de Brucutu estava no dedo médio, para sobressair mais. Jamais esquecerei, nosso amigo lembrou sabiamente o Anel de Brucutu do esguicho do Fusca, Boa Tarde…

    Responder
  68. J. A.

    A peça acima mostrada, nada tem a ver com o BRUCUTU.
    Este anel era confeccionado com o injetor de água do fusca ou feito artesanalmente com um pedaço de metal, com os dois furinhos, preferencialmente pintados de vermelho.
    Abraços brocutenses

    Responder
  69. AILTON

    Negativo, o brucutu era realmente o bico ejetor de água para o pára-brisa do fusca. Não era de carro de outra marca, nem a base do suporte da antena, embora esta às vezes fosse usada. O brucutu não era a peça que se vê na foto. Bons tempos que não voltam mais.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This