Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

“Miss Campeonato”: mistura de futebol e mulheres existe desde 1957

19 de dezembro de 2013

Não é de hoje que a fórmula “futebol + mulher” é utilizada no Brasil. Ela já existe há 56 anos, mas de uma forma diferente. Se atualmente são os concursos de musa com pouca roupa que fazem sucesso, na década de 1950 um programa chamado Miss Campeonato é que aparecia como referência neste departamento.

Criado em 1957 pelo escritor e jornalista Sérgio Porto,  que usava o irreverente pseudônimo “Stanislaw Ponte Preta”, a atração foi ao ar pela  Rádio Mayrink Veiga, do Rio de Janeiro, e surgiu como uma espécie de metáfora para explicar a tabela do Campeonato Carioca. Funcionava da seguinte maneira: um grupo de humoristas, com destaque para Tutuca, Antônio Carlos Pires, Geraldo Alves, Mário Senna e Duarte de Morais, disputavam a atenção da moça chamada “Miss Campeonato”, geralmente interpretada por uma vedete de destaque da época.  No programa, cada humorista fazia o papel de um time – o mais ilustre deles, Zé Trindade, era o flamenguista, por exemplo – e a moça ficava com o representante do clube que tivesse terminado a rodada do final de semana na liderança.

Sérgio Porto, o Stanislaw Ponte Preta, criou o programa com as Certinhas do Lalau

Sobre o processo de seleção da vedete, o pesquisador paulista Magalhães Júnior, roteirista de “A Praça é Nossa”, explica que as candidatas eram escolhidas no concurso “As Certinhas do Lalau”. “Na verdade, concurso não é a palavra mais adequada, porque não tinha jurados”, explica Magalhães. “Todas as escolhas eram feitas pelo próprio Sérgio Porto”.  “As Certinhas do Lalau” começou como uma brincadeira na coluna d Stanislaw no Última Hora para mexer com o colunista Jacinto de Tormes (pseudônimo de Maneco Muller), que elegia as “10 mais bem vestidas” da elite do Rio de Janeiro. Então, toda semana, ele escolhia uma “certinha”. Magalhães conta que o nome “Certinhas do Lalau” foi escolhido depois de uma ida de Sérgio Porto à praia. Na ocasião, ele teria escutado o próprio pai dizer que uma mulher caminhando no calçadão era muito “certinha” e acabou tendo a ideia que seria uma de suas marcas registradas e que até 1968 seria tema de alguns de seus textos. A primeira vedete a participar do programa como “Miss Campeonato” foi a atriz Rose Rondelli, que se casaria depois com o humorista  Chico Anysio.

Reportagem de jornal da época mostra o sucesso do “Miss Campeonato” no rádio. Em destaque, a vedete Rose Rondelli

O sucesso da atração no Rio foi tão grande que, no mesmo ano de 1957, o formato migrou para São Paulo, com textos assinados por  Aloysio Araújo. Ao contrário da versão carioca, o programa em São Paulo foi transmitido  pela TV Paulista, o Canal 5. O roteiro teve de sofrer algumas alterações. A principal delas foi a de que a história passou a ser ambientada em uma pensão onde moravam torcedores dos principais clubes do campeonato, que brigavam pelo amor da filha de Dona Liga.  A proprietária do estabelecimento era interpretada pela cantora Diamantina Gomes. Assim como no Rio, a Miss Campeonato era vivida por uma vedete.  Carmem Verônica foi a primeira a ocupar o papel, seguida depois por Célia Coutinho, Anilza Leoni e Marli Marlei. Já o time de humoristas era formado por nomes como Ronald Golias (Corinthians), Daniel Guimarães (Portuguesa), Farid Riskalla (Ferroviária), Manoel Inocêncio (Palmeiras), Luis Pini (Santos), Clayton Silva (Juventus) e Cláudio Moreno (São Paulo). O programa foi exibido até 1964 e, ao final de cada temporada, a Miss Campeonato casava-se com o personagem do time campeão. Por isso, a atração só ia ao ar durante  o torneio estadual e, no ano seguinte, a história recomeçava do zero.

Elenco de humoristas do “Miss Campeonato” exibido pela TV Paulista. No centro,a vedete Anilza Leone

Em 1973, a TV Gazeta tentaria ressuscitar o formato, mas depois de três meses desistiu do projeto, reclamando da baixa audiência. Nesta versão do programa, a Miss Campeonato era interpretada pela atriz Lucimara Parisi. “Foi uma época muito boa da minha carreira”, afirma ela. “Eu me divertia bastante fazendo o programa, todos no elenco se davam muito bem”. Lucimara contracenou com os humoristas Borges de Barros (Corinthians), Luis Pini (Santos)e Daniel Guimarães (Palmeiras). Apesar da mal sucedida tentativa, Magalhães Júnior acredita que ainda existe espaço para a atração na atualidade. “Na verdade, uma das minhas maiores vontades é ver um programa parecido com o Miss Campeonato em exibição novamente”, diz ele. “Só acho que o formato seria mais adequado para o rádio do que para a televisão”.

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Fatia de bolo Real guardado por 40 anos

Fatia de bolo Real guardado por 40 anos

O britânico Gerry Layton pagou 1.850 libras (US $ 2.565) pela cobertura de uma fatia de bolo servida no casamento do príncipe Charles e da princesa Diana em 1981. O colecionador estava interessado pela arte do bolo, um desenho...

O menino dos Cigarrinhos Pan

O menino dos Cigarrinhos Pan

O ator Paulinho Pompéia, garoto-propaganda dos Cigarrinhos de Chocolate Pan (em 1996, a empresa mudou o nome para Rolinhos de Chocolate, para que eles não servissem de estímulo ao tabagismo), morreu em 30 de junho de 2021, aos 72 anos.   A edição de abril de 2003...

Uma barra de chocolate com 121 anos

Uma barra de chocolate com 121 anos

Uma barra de chocolate histórica foi encontrada intacta, com embalagem e tudo, 121 anos depois de produzida. A Rainha Vitória encomendou 100 mil barras de chocolate para presentear os soldados ingleses que estavam lutando na segunda Guerra do Bôeres, entre 1899 e...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This