• O Mussaká é um dos pratos gregos mais conhecidos. Seu preparo leva berinjela e carne de carneiro cortadas em fatias, dispostas como uma espécie de lasanha e cobertas com molho béchamel. Alguns estudiosos acreditam que a receita surgiu com a chegada da berinjela à Grécia, trazida pelos árabes. O nome da receita vem do turco “mussakka”, que, por sua vez, deriva de uma expressão coloquial árabe-egípcia cujo significado é congelado.
  • O prato tem 372 calorias.
  • A Grécia consome 21 quilos de azeite de oliva per capita por ano. Espanha e Itália ficam na marca de 10 a 12 quilos, respectivamente.
  • Os gregos produziram 2.227.000 toneladas de azeitonas em 1998.
  • De acordo com o Ministério de Relações Exteriores da Grécia, a oliveira mais antiga do mundo fica em Pano Vouves, em Kolymari, na Ilha de Creta. A árvore tem uma expectativa de vida de 300 a 600 anos, mas estima-se que essa oliveira tenha cerca de 5 mil anos. A região de Kolymari é uma das mais tradicionais produtoras de azeite na Grécia, chegando a fabricar 30 toneladas por dia.
  • O espeto de carnes empilhadas, conhecido no Brasil como churrasco grego, se chama gyro em seu país de origem. Ele é servido no pão sírio e vem acompanhado de pepino, iogurte e outros complementos.
  • Os romanos chamavam os antigos gregos de “comedores de cevada”, porque o cereal era um dos principais pilares da alimentação do povo.
  • Uma das carnes considerada nobre na antiga Grécia era a do cão. Ela costumava ser consumida em ocasiões festivas. No dia-a-dia, dava-se preferência ao javali, veado, lebre, raposa e porco-espinho